Senado adia CPI do MEC para depois das eleições

Parlamentares da oposição ao governo cogitam recurso ao STF

Brasília, 05/07/2022

Em negociação com os líderes partidários, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), decidiu adiar para depois das eleições a instalação da CPI do MEC para investigar denúncias de corrupção que envolvem o ex-ministro Milton Ribeiro 

Na análise do sócio-presidente da Dominium, Marcelo Moraes, o governo minimiza, com a decisão do Senado, ameaças à campanha do presidente Jair Bolsonaro. “O fato da instalação da CPI imediatamente um desgaste ao governo, em plena campanha pela reeleição. A CPI proveniente não diminuiria o potencial de votos de Bolsonaro, mas poderia prejudicar o crescimento eleitoral do presidente”, explicou. 

Segundo Moraes, a oposição poderá optar por recorrer ao STF para pedir a instalação da CPI em agosto, mas tudo indica que o colegiado só funcionará uma vez encerrado o processo eleitoral, com um novo Congresso eleito e com um governo legitimado pelas urnas, numa configuração política diferente da atual.

Fale
Conosco

©2021 Dominium