Presidentes de países da América do Sul criam grupo para tratar de integração regional

“Consenso de Brasília” termina sem retomada da Unasul e com agendas a definir

Agência Dominium | Brasília, 30/05/2023

A reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com 11 lideranças de países da América do Sul, no Palácio Itamaraty, em Brasília, terminou com a criação de um grupo de contato de chanceleres, mas sem a retomada da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), com agendas incertas e datas a definir.

“Apesar do louvável esforço brasileiro para avançar com uma agenda econômica e política de cooperação e integração regional, ficou evidente, nessa semana, que o continente sul-americano ainda vive um momento de divisões e incertezas, bem diferente de quando a Unasul estava ativa, em pleno funcionamento”, disse o analista sênior da Dominium Consultoria, Gustavo Bernard.

A Unasul foi criada em 2008. Em 2018, seis países, incluindo o Brasil (Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru) deixaram o grupo.

Segundo o especialista em relações internacionais, as tensões durante o encontro dos presidentes sul-americanos, envolvendo imprensa e a segurança do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, dentro do Itamaraty, evidenciam as dificuldades para dialogar na direção de uma robusta e atual integração regional.

O “Consenso de Brasília” prevê, mesmo sem avanços sobre a Unasul, uma série de diretrizes para tratar de integração e democracia na região: diálogo contínuo; cooperação para superar desafios climáticos, alimentares e energéticos; parcerias para investimentos, comércio e avanços sociais no continente.

Acesse a íntegra do Consenso de Brasília: Clique aqui. 

©2021 Dominium