Três Poderes do Brasil reagem aos ataques às instituições democráticas

Executivo se reúne com governadores e Suprema Corte e Câmara aprova decreto de intervenção na segurança do Distrito Federal

Brasília, 09/01/2023

Os ataques aos prédios públicos dos Três Poderes do Brasil no domingo (8), em Brasília, tiveram reação do Executivo, Legislativo e Judiciário do Brasil. Após os atos de violência e vandalismo, que causaram prejuízos de mais de R$ 8,5 milhões e resultaram na prisão de cerca de 1.500 extremistas, a Câmara Federal aprovou, de modo simbólico, em caráter de urgência, o decreto de intervenção na segurança do Distrito Federal. A medida, que depende também de avaliação do Senado Federal, foi decretada pelo Presidente da República Luiz Inácio da Silva no dia dos atos contrários ao resultado das eleições no Brasil.

Nesta segunda (9), o Presidente da República se reuniu com governadores, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e líderes do Legislativo. Na ocasião, os representantes dos Três Poderes defenderam as instituições democráticas e falaram sobre a necessidade de investigar os financiadores dos atos e punir os extremistas que causaram estragos aos edifícios-sede (Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Suprema Corte).

Associações, entidades privadas e autoridades internacionais se posicionaram contra os danos às instituições brasileiras e em defesa da Constituição e do Estado Democrático de Direito. Senadores também articulam a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os atos antidemocráticos. A proposta tem o apoio de 31 senadores, mais que as 27 assinaturas necessárias, e pode ser protocolada.

©2021 Dominium